terça-feira, julho 19, 2005

Vidraças


Quebrar as vidraças
abrir sua janela
romper a indiferença feito raio
desmanchar as artimanhas
dissolver suas defesas

Incidir em sua mente
como o sol
brilhar
refletir sua verdade
desarmar seus artifícios
desnudá-lo de si mesmo

Sou seu sono inquieto
os tremores ocultos
seu desassossego
que lhe rouba a calma
que lhe diz jamais

Sou a face feita sol na sua alma
Fogo e vento
Que estilhaça seus vitrais

Um comentário:

jose gil disse...

com a melhor poesia e apresentação

um beijo

josé gil